A Origem do Walkman

O Walkman completou 36 anos nesta quarta-feira (1º) e resolvemos relembrar sua história, que revolucionou a forma de ouvir música. O que poucos sabem é que o nome do famoso toca-fitas é marca registrada da Sony que, de tanto sucesso, acabou virando o nome do produto. Confira alguns destaques da história do aparelho.
O primeiro modelo de Walkman foi o Sony TPS-L2, desenvolvido pelo coordenador do setor de áudio da Sony, o japonês Nobutoshi Kihara, e lançado no Japão no dia 1º de julho de 1979 pelo equivalente a U$ 150 (cerca de R$ 465,29). No ano seguinte, ele chegou aos Estados Unidos, onde fez muito sucesso, e acabou sendo levado para mercados consumidores em todo o mundo.
Ele foi o primeiro dispositivo a permitir a reprodução de músicas de forma portátil e individual. Até então, as pessoas só conseguiam escutar as canções em rádios AM/FM e tocadores de fitas cassete maiores. O aparelho recebeu, de início, nomes diferentes em cada país. Nos Estados Unidos, era Soundabout e, no Reino Unido, Stowaway, até que o nome Walkman ganhou mais força e passou a ser mundialmente conhecido.
O Walkman teve seu auge na década de 1980, com um sucesso estrondoso, mas, conforme foram aparecendo mais os CDs e “sumindo” as fitas cassete, o aparelho foi perdendo espaço. Porém, a Sony já tinha vislumbrado o futuro e lançado, em 1984, seu primeiro Walkman CD, que posteriormente foi popularizado com o nome de Discman, outra marca registrada da Sony que, de tanto sucesso, tornou-se nome do aparelho.
O primeiro Discman foi o modelo CD-50, um dispositivo grande e pesado e que, apesar disso e de custar caro, fez muito sucesso na época. Depois, surgiram diversos modelos da então novidade e várias outras fabricantes lançaram seus próprios modelos de Discman, além dos da própria Sony, cada vez menores e mais leves.
Além dos modelos já apresentados, a Sony também lançou, em 1989, o que ficou conhecido como Video Walkman, para aproveitar o sucesso dos videocassetes e VHS. Ainda, em 1992, a empresa colocou no mercado mais um “filho” do Walkman, o MiniDisc, que era uma versão menor do Discman. Já em 2001, lançou o Walkman MP3.
A Sony estava sempre à frente em relação às outras fabricantes de reprodutores de áudio e música, até que a Apple surgiu e começou a tomar aos poucos a liderança da concorrente. Com o surgimento do iPod, o Walkman e seus derivados foram perdendo cada vez mais espaço, obrigando a companhia a se reinventar.
Em 2005, antes do surgimento dos smartphones, a Sony passou a investir na transformação de seus celulares Sony Ericsson em novos modelos de Walkman. Porém, em seguida, no ano de 2007, a Apple lançou o iPhone, que começou ganhar espaço e acabou provocando o o fim desses celulares, que tiveram a produção encerrada em 2009.


Comentários (0)


Deixe um comentário